sexta-feira, 28 de outubro de 2011

BICHEZAS DA MINHA HORTA


Nos últimos tempos tenho falado muito da perspectiva de uma segunda colheita de framboesas. Tudo bateu certo até às chuvas desta semana. Inesperadas? De modo nenhum. Previsíveis os seus efeitos? Mais do que isso, tendo em conta as temperaturas moderadas da semana não obstante a acentuada descida (i.e. máximas de 17-18 graus centígrados), e elevada humidade relativa (em torno dos 80%) era de esperar a célebre podridão dos frutos (botrytes cinerea). Em breve mostrarei as fotografias para quem não conhece.


Agora, verdadeiramente surpreendente foi a aparição nesta semana de larvas, embora bonitas, mas cuja presença obviamente dispenso. Atacam as folhas com um notável apetite. Estas larvas são  uma das fases da vida dos lepidópteros que se inicia por ovo, larva (ou lagarta), pupa e imago (adulto). No estado adulto (as borboletas) colocam os ovos nas páginas inferiores das folhas, nas flores ou nos frutos. Ao eclodirem, as pequenas larvas começam a alimentar-se dos tecidos da planta causando grandes estragos. Há que apanhá-las manualmente e eliminá-las e não confiar demasiado na eficácia dos seus inimigos naturais que podem ser também larvas de outras espécies. 


A princípio pensei que se tratava de um acaso. Mas logo mudei de ponto de vista ao localizá-las noutros framboeseiros em pontos bem separados da horta. Aqui ao tentar retirá-lo com a ajuda de um caule a larva toma a posição de defesa, enrolando-se.

Sem comentários:

Publicar um comentário