quarta-feira, 8 de novembro de 2017

CONTEMPLAR, CUIDANDO-SE.


Diamantes de gelo, ora cristalino, ora baço contrastam com o negro das  areias da praia. O horizonte vasto, mar, céu e nuvens, vento, por vezes até chuva,  e o marulhar  quebrado nas pequenas massas geladas que aqui e ali se entrechocam. Cresce a confiança, o relaxamento. Mas também não há como negar o risco. Nenhum lugar está ao abrigo: ondas fatídicas, as famosas "sneaker waves", podem formar-se num instante. Águas e pedaços de gelo podem sem aviso subir em turbilhão e varrer toda a praia. Contemplar sim, mas cuidando-se. 

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

LAGOAS em CRESCENDO


O recuo  dos glaciares dá origem a lagoas. De ano para ano e pelo menos desde 1932 esse movimento vem ampliando a superfície das águas. Nessa época a camada de gelo era bem espessa. Entretanto, pedaços de gelo espectaculares continuam a desprender-se do glaciar formando icebergues que brilham como diamantes. E há vida: dezenas de focas dispõem de variados recursos em peixe como o arenque, a truta e, por vezes até salmão, além de pequenos crustáceos, como o krill. As aves aproveitam o verão para nidificarem. Actualmente a lagoa da foto já mede 20 Km2 de superfície. E continua a crescer.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

QUANTO VALE UM LÍQUEN?


  Tapetes de musgo, pequenas ervas, algumas flores e arbustos rasteiros  cobrem  o chão de lava, cinzento prateado, azul e branco.
   Há, no entanto pequenas clareiras despidas. O musgo pode facilmente ser danificado por pegadas ou rasto de pneus. E a reposição natural pode demorar décadas ou até centenas de anos. 
  Em lugares húmidos e expostos ao sol directo, combinado com musgos, pode surgir uma variedade única de líquen (à primeira vista dir-se-ia um musgo), o líquen da Islândia (Cetraria islandica), adaptável mesmo a solos rasos e estéreis. Claro que tem a protecção legal, facilmente respeitada: aqui a natureza é objecto de verdadeiro culto.  

sábado, 21 de outubro de 2017

LENDAS NÓRDICAS


   Onde o arco-íris toca o chão, há um pote de ouro. De quantas grossas moedas cintilantes? Simplesmente, inesgotáveis. Porém, apenas alguém irrepreensivelmente honesto, trabalhador incansável e de coração sem mácula, poderá abeirar-se dele sem risco. Tratando-se de alguma má pessoa, à simples aproximação, cairá fulminado como por um raio. 
     Fascinante, sim! Verdadeiramente, é inalcançável. 
    Assim fala a lenda nórdica. Lenda! Mas, à cautela, guardemos a prudente distância. 

terça-feira, 17 de outubro de 2017

HABITAÇÃO, em terras de fogo e gelo.


        Glaciares repousam sobre fogo. Para além da aparência tranquila, o meio envolvente é explosivo.  E até nele continua o homem buscando lugar para a sua habitação.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

TERRA de FOGO e GELO; da possível agricultura.


  Por ali, a superfície cultivável é de, apenas, 1% do território e está circunscrita às terras baixas. A época de cultivo é naturalmente muito curta. 
  Em campo aberto, há espaço para pastos, aliás excepcionalmente nutritivos, para o centeio e a cevada e também para a batata, cenoura, couve ou nabo.  Em estufas,  aquecidas a energia geotérmica, cultivam-se o tomate, o pimento ou a abóbora e flores de corte.
  Saliente-se que o clima frio torna as pestes por insectos praticamente inexistentes. Assim, podem os agricultores dispensar o uso de agro-químicos. Nos tempos que correm é uma vantagem nada despicienda.  
  Apesar da presença da neve no cimo da montanha (trata-se, afinal, de um glaciar) a foto é de um dos últimos dias de verão.