domingo, 27 de janeiro de 2019

RECRIAÇÃO do ESPÍRITO do PASSEIO DE DOMINGO A QUE NÃO FUI.


Tão - balalão, 
Soldado ladrão, 
Menina bonita
Não tem coração.

Tão - balalão,
Senhor capitão,
Espada na cinta
Sineta na mão.

Tão - balalão,
Cabeça de cão,
Cozida e assada 
No meu caldeirão.

Tão - balalão,
Senhor Capitão
Orelha de porco
Pra comer com feijão. 

(Conta avó, conta! Lengalenga que a avó me cantava com a história "Pato aqui, pato ali, Filha de rei andar por aqui Foi coisa que nunca vi")

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

AO SOL de INVERNO


 Do cimo da leve colina ao sol  que brilha generosamente em tarde de inverno, estendem-se vinhedos de largo compasso, em repouso vegetativo bem merecido. As folhas caíram, a seiva desceu. O solstício foi há apenas uns dias. Não há garantia de perdurabilidade para este céu único. Aproveitemos, então. A primavera não demorará...

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

RETOMANDO ALENTO


O Paiva, rio de águas bravas, do planalto da Nave, Serra de Leomil, a cerca de 1.000 m de altitude, até Castelo de Paiva, na margem esquerda do rio Douro, aqui deslizando placidamente por entre carvalhais (carvalho-alvarinho), amieiros e freixos, nos derradeiros dias de Dezembro passado. 

sábado, 22 de dezembro de 2018

acerca de um pobre príncipe esfarrapado







Percorro o dia, que esmorece
Nas ruas cheias de rumor;
Minha alma vã desaparece
Na muita pressa e pouco amor.
Hoje é Natal. Comprei um anjo,
Dos que anunciam no jornal;
Mas houve um etéreo desarranjo
E o efeito em casa saiu mal.
Valeu-me um príncipe esfarrapado
A quem dão coroas no meio disto,
Um moço doente, desanimado…
Só esse pobre me pareceu Cristo.

Natal Chique, Vitorino Nemésio.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

TRANSIÇÕES


Surgiram estrategicamente no meio de campos de centeio, cevada ou trigo, pontuados por oliveiras e  amendoeiras, abrigo de pombos que encontravam alimento no restolho dos cereais.


A carne das aves complementava a dieta dos lavradores. Por outro lado, a alimentação natural dos pombos possibilitava um estrume especialmente rico em azoto (muito superior ao do gado vacum ou equino) que era aplicado nos campos. Mas, a pouco e pouco,  extensos vinhedos  plantados em socalcos substituíram as culturas tradicionais do Vale do Côa.  Já não há novos pombais e a maior parte dos antigos foi tomada pelas silvas. Sobram aqueles que o gosto ou o capricho dos proprietários vão mantendo, a par dos não menos belos muros de pedra solta. 

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

TERRAS ALTAS. FRIO? QUAL FRIO?


Tardam os nevões, mas esta pequena vaca não os teme vestida como está com o seu casaco espesso. Nas terras altas, onde os pastos escasseiam,  pode alimentar-se de plantas que outro gado recusaria e suportar condições climatéricas a que outros não sobreviveriam. Naturalmente preparadas para o frio não carecem tanto de acumular gordura. Por outro lado o declive natural do terreno propicia o desenvolvimento de bons músculos. A vaca adulta pode pesar 500 Kg e o boi 800 Kg com uma excelente qualidade de carne.


Em natureza, estes animais têm uma esperança de vida de 20 anos. São muito dóceis. Há que ter em conta, porém, o zelo exagerado na protecção das crias. Hoje em dia, a procura de um bom bife magro de gorduras desperta o interesse comercial na criação deste gado. Não há, assim, risco de extinção, bem ao contrário do bisonte ou mamute com quem são manifestamente aparentados.