segunda-feira, 27 de março de 2017

SCABIOSA (SAUDADES-ROXAS, SUSPIROS, PINCUSHION FLOWER, SCABIEUSE)


Era verão. O movimento das atraentes cabeças de flores em púrpura claro ou entre o vermelho e cor-de-rosa, dificultavam a focagem. Não iria perder o registo de filetes e anteras, com os seus finos traços a branco a contrastar com o vermelho-escuro dos floretes. E que bem apanhada a designação inglesa, "pincushion": almofada de alfinetes!


Uns 60 cm de altura de longos e finos caules, ofereciam-se à luz e ao vento húmido. Folhas da base em rosácea e menos abundantes à medida que se sobe na haste, profundamente recortadas, lanceoladas.



Seduzido pela disposição, forma e cores das flores demorei-me em contemplação: uma planta de outras paragens, pensei. 



O vigor da planta, a altura e a cor das flores, certamente um híbrido criado para decoração, distanciou-me da sua congénere scabiosa maritima, relativamente fácil de encontrar à volta da minha aldeia. Afinal, uma planta amante do sol, originária da Europa e abundante na zona mediterrânica. Consegue imaginá-la em tons rosados? Reconheceu-a?

quinta-feira, 16 de março de 2017

ECHIUM PLANTAGINEUM (CHUPA-MEL, PATERSON,S CURSE)


Planta selvagem, alastra rapidamente nas terras incultas e nas pastagens é um risco para o gado. Não é planta que se recomende. É tóxica e afasta plantas desejáveis.

  
Não deixam por isso, quando em flor, de ser plantas sedutoras. Agora que se anuncia a primavera, flores púrpura em botão, bastante ampliadas. 


Outras já plenamente abertas, coexistem  com botões em diferentes graus de desenvolvimento. 


Em antese.

quinta-feira, 2 de março de 2017

BRISA da TARDE (AFTERNOON BREEZE)


"...E este chão, que juncais de generosas flores,
É nossa alegre estrada, ..." 

(poesia de Machado de Assis, À memória do Ator Tasso)


Em cima, na primeira foto: poderiam ser flocos de neve, sobre o manto verde. No chão e a branco, são pétalas. Pétalas de flor de amendoeira tocadas pela brisa da tarde. À boleia da brisa solta-se o pólen. Um ou outro grão de pólen alcançará o seu estigma.


Os insectos dão uma quota-parte de ajuda: a natureza faz o seu trabalho. 

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

LYSIMACHIA CILIATA "FIRECRACKER" (LISIMÁQUIA CILIATA, FLOWERING SALLY)

 

Nesta variedade de lisimáquia o destaque vai, logo no início da rebentação primaveril, para a coloração a chocolate  da folhagem. Com o tempo irá abrir a tonalidades claras. Aqui, em Junho e em plena floração, ainda persistem os tons carregados, mas é notória a progressiva invasão de tons ou acastanhados ou já avermelhados e a clarear para o verde.  Esta conjugação é manifestamente invulgar. 


De cinco pétalas em amarelo vivo com uma marca de vermelho na base, cinco sépalas e cinco estames.


É uma planta rústica, de porte erecto, vivaz, rizomatosa, fácil de cultivar, tendendo a tornar-se invasiva mas os caules podem ser arrancados facilmente. Prefere um solo rico e fresco, podendo estar exposta ao sol ou à meia sombra. Multiplica-se por divisão dos tufos no Outono. 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

AQUILEGIA (AQUILÉGIA, COLUMBINE, ANCOLIE)


A aquilégia é uma planta herbácea, perene,  da família das ranunculáceas, de floração primaveril (Maio-Junho) e que prefere os solos húmidos mas bem drenados. Os híbridos são os mais floríferos. Esta variedade de aquilégia, apresenta as flores numa posição erecta. Sépalas petalóides exibem-se vestidas na cor bordeaux  que é também a cor das longas e estreitas esporas fechadas no ápice


Na foto podem ver-se melhor as esporas. Os estames, com as anteras em amarelo-canário e os filetes em amarelo pálido, estão rodeados por cinco pétalas também em amarelo pálido. 


A folhagem é também, como pode ver-se, muito interessante.


Multiplica-se quer por sementes quer por divisão dos rizomas. Na foto, cápsula madura pronta para soltar as sementes.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

CLEMATIS (CLEMATITES)


"Estavam defronte dum velho muro onde cresciam clematites.


Amélia abriu uma porta verde; e por três degraus de pedra desconjuntados desceram a rua toldada por uma larga parreira. Junto do muro cresciam rosas de todo o ano;"

de, O Crime do Padre Amaro (1878). Eça de Queiroz, (1845, Póvoa do Varzim -1900, Paris). 

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

HYPERICUM ANDROSAEMUM (ANDROSEMO, TUTSAN, MILLEPERTUIS)


A floração é abundante. Flores de cinco pétalas em tons de amarelo-claro, cinco sépalas e numerosos estames que podem ganhar tons avermelhados.


A folhagem é larga e oval e em lugares frescos e sombrios mostra-se primeiramente em verde, depois com tonalidades de amarelo e no outono com manchas avermelhadas. No inverno é parcialmente persistente. Quando espremida solta um rico odor.


 Mas o destaque vai para as bagas carnudas, que amadurecem a partir do verde, passando pelo vermelho e finalmente, no outono tornam-se pretas.